Tópicos | Play Store

O Google eliminou 60 jogos da Play Store depois que a empresa de segurança Check Point descobriu um erro que exibia pornografia em aplicativos, muitos dos quais destinados a crianças. Alguns dos apps afetados, segundo o site The Verge, já foram baixados mais de 1 milhão de vezes.

A empresa Check Point diz que a falha exibe anúncios pornográficos inadequados e tenta forçar os usuários a instalar apps falsos ou se inscrever em serviços que causam prejuízos financeiros.

##RECOMENDA##

Alguns dos aplicativos também exibem avisos falsos mostrando que o telefone do usuário foi infectado por um vírus e fornece um link malicioso para fazer download de um suposto antivírus.

Um porta-voz do Google informou que desabilitou as contas dos desenvolvedores responsáveis. "Removemos os aplicativos da Play Store, desabilitamos as contas dos desenvolvedores e continuaremos a exibir avisos para qualquer um que os tenha instalado", informou um porta-voz do Google.

LeiaJá também

--> Facebook faz mudança no feed e prioriza posts de amigos

Quem nunca se atrasou na tentativa de dormir só mais cinco minutinhos? Ou adiou mais um pouco o despertador para aproveitar mais um pouco do sono? Acordar é uma tarefa difícil para muitos, então, pensando nisso, a Microsoft desenvolveu um aplicativo para ajudar no despertar do sono. 

O Mimicker Alarm é um despertador diferente. O usuário ajusta o alarme para o horário que deseja acordar, mas para silenciar o toque é necessária a realização de desafios, como tirar uma selfie com alguma expressão facial, encontrar uma determinada cor ou desenrolar um trava-língua. O

##RECOMENDA##

O aplicativo exige atenção do usuário, afinal ele pode usar o cenário ao redor para a efetivação do desafio. Se o jogo não for terminado no tempo, o alarme tocará novamente. A novidade está disponível gratuitamente na Google Play para aparelhos que utilizam o sistema Android.

Estudantes que vão prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos dias 24 e 25 de outubro deste ano podem contar com uma ajuda extra na reta final dos estudos: o aplicativo Enem Plus. O app gratuito simula o cálculo da nota padronizada e lista as possibilidades de aprovação em todas as instituições de graduação que utilizam o Enem como mecanismo de acesso.

De acordo com professor que desenvolveu o aplicativo, Alcemir Maia, a plataforma cria uma estrutura matemática chamada padronização das notas. O aluno antes de sair de casa já pode ter uma boa noção de quantas questões ele precisa para atingir a pontuação mínima necessária para passar no curso que deseja, afirma. Outra possibilidade, segundo o professor, é após a realização das provas: com o gabarito, o estudante coloca suas nota no aplicativo que lhe dirá qual a sua pontuação.

##RECOMENDA##

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) costuma divulgar o gabarito oficial dois dias depois das provas. Com base nos dados Enem do ano anterior, o aluno pode simular em que cursos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) ele teria chance de passar, diz Alcemir Maia.

Para Maia, a intenção é deixar o aluno em condições psicológicas, tranquilo, para que ele utilize o que aprendeu em sua escola, na sua vida. Ou seja, que ele não se deixe levar pelo emocional, pelo descontrole que prejudicará todo o andamento de sua prova.

O aplicativo Enem Plus está disponível gratuitamente na Play Store para aparelhos com tecnologia Android e aguarda a liberação IOS para aparelhos que utilizam a tecnologia iPhone.

O clima de festejos de fim de ano fez com que apps em diferentes lojas virtuais  ganhassem até 75% de desconto. Jogos infantis como Temple Run: Oz , Worms 3 e Machinarium tiveram abatimento nos preços originais na Play Store. Durante as festas, o preço máximo dos aplicativos listados especialmente para o Natal pela loja é de R$ 2,60. 

Ainda na loja de apps para Android, filmes como o nacional Tarja Branca (R$9,90) e Rio 2 – Uma grande Família Azul (R$ 12,90) e livros como A Arte da Guerra (R$ 25,90) estão sendo oferecidos gratuitamente aos usuários do sistema. A oferta ainda vale para playlists com músicas de Natal, oferecidas sem nenhum custo aos usuários. 

##RECOMENDA##

Os usuários de dispositivos iOS terão direito a descontos nas compras de apps. Cerca de 30 deles – entre jogos, utilitários e editores de fotografia – estão custando U$ 0,99 na App Store. A loja ainda preparou listas de jogos e outros apps de diversão relacionados à época do Natal. Na App Sotre, os artigos selecionados para o fim de ano podem ser obtidos gratuitamente ou por meio de pagamento do preço original.

Um jogo disponível para dispositivos compatíveis com o sistema operacional Android foi suspenso da loja de aplicativos Play Store. “Bomb Gaza” (ou bombardeie Gaza, em tradução livre), incentiva os jogadores a lançar bombas em Gaza, o que gerou polêmica na internet. O título eletrônico foi baixado mil vezes antes de ser banido da loja, nesta segunda (4).

No game, o jogador entra na pele de soldados israelenses que devem lançar bombas e evitar a morte de civis. O Google, que não costuma emitir comentários sobre aplicativos específicos, disse que o game “foi removido da Google Play, pois viola nossas políticas”.

##RECOMENDA##

O jogo traz a tona o confronto entre Israel e Palestina, onde os bombardeios deixaram Gaza em ruínas e os mortos já ultrapassam 1.700 pessoas, incluindo cerca de 400 crianças, de acordo com a fonte israelense Haaretz.

A Apple alcançou um recorde. Segundo o Appsfire, a loja de aplicativos App Store alcançou o número de 1 milhão de apps aprovados para serem comercializados em seus dispositivos com sistema operacional iOS. 

A App Store foi lançada em 2008 e até hoje já teve mais de 35 bilhões de downloads de aplicativos. A loja é acessada pela grande maioria dos 400 milhões de usuários do iTunes. 

##RECOMENDA##

Sua grande concorrente é a Play Store, loja do Android que também foi lançada no mesmo ano, possui mais de 675 mil aplicativos e já alcançou mais de 25 bilhões de downloads dos seus arquivos. 

Foi liberada hoje (02) para Android a primeira versão do player VLC pela desenvolvedora VideoLAN. Ele se apresenta em versão beta e ainda está muito instável, segundo a própria criadora do programa.

Além desses problemas, o VLC tem algumas restrições de funcionamento como só funcionarem em celulares com processador ARMv7 e ter sido implementado pelo engine NEON que é responsável por realizar processamento multimídia. Apesar de todos esses empecilhos, o aplicativo é uma ferramenta grátis. Mas ocupa 7 MB e exige a versão Android 2.1 ou superior.

##RECOMENDA##

No Play Store é possível ver na descrição do aplicativo que o programa sofrerá mudanças até a versão final, no entanto, no release inicial do VLC é apresentado um widget embutido que disponibiliza suporte a controle de fone de ouvido e controle de músicas.

Será que o programa passará pelo mesmo problema que a versão para iOS sofreu? O aplicativo foi disponibilizado para o sistema da Apple, mas logo saiu da App Store, nesse caso, por problemas de licenciamento. Uma versão extraoficial do VLC para Android vem sendo distribuída por um fórum de desenvolvedores.

O Android é um dos mais conhecidos sistemas operacionais móveis do mundo, o que se reverte na demanda de aplicativos para sua loja online.

Segundo o site TechCrunch, as marcas já tinham sido alcançadas há algumas semanas, mas o Google parece que não quis divulgar e comemorar os resultados da loja de aplicativos, jogos, músicas, livros e streaming de vídeo Play Store.

##RECOMENDA##

Um fato que irá aumentar ainda mais a popularidade da loja no Brasil é o anúncio de que a fatura da compra de qualquer produto da loja online poderá vir na conta telefônica, o que dispensa os usuários de terem a necessidade de usarem um cartão internacional nas transações.

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando